Energéticos

O uso de energéticos vem aumentando cada vez mais. Buscando render mais durante o dia, ficar mais "ligados", as pessoas mandam  ver com os energéticos. Porém, o que muitos não sabem,  que em excesso eles abalam o coração, provocam gastrite e danificam os dentes.

Existe um limite de ingestão de cafeína. Adultos por exemplo podem ingerir no máximo 2,5 miligramas de cafeína por kg de peso. Isso significa que uma mulher pesando em torno de 60 kg deveria ingerir em torno de 150 miligramas e, nos energéticos, a quantidade de cafeína varia de 80 a 500miligramas.Com a ingestão em excesso, quem paga mais caro geralmente é o coração. A cafeína faz com que o sistema nervoso simpático libere hormônios estimulantes como adrenalina e noradrenalina. Esta dupla por sua vez propicia o aumento da frequência cardíaca e o estreitamento dos vasos sanguíneos, fazendo a pressão aumentar. Em pessoas com problemas prévios nas artérias, o efeito muitas vezes serve como estopim para um infarto ou derrame. Além disso, estes hormônios podem fazer com que o coração bata muito rapidamente e se o indivíduo tem um problema prévio, esta aceleração pode ser fatal.

A gastrite também pode ser poupada se não houver a ingestão dos energéticos.  Tanto a cafeína como os hormônios excitantes despejados na corrente sanguínea contribuem para a maior produção de ácidos que irritam a mucosa do estomago, o que explica a sensação de queimação.  Apesar da maioria dos problemas decorrentes dos energéticos estar relacionado a cafeína, existem ainda vários prejuízos decorrentes devido a outras características do líquido. Sua acidez é um exemplo. Um estudo realizado na Universidade do Vale do Itajaí em Santa Catarina sugere que a bebida pudesse mexer na estrutura do cálcio e esmalte dos dentes favorecendo os dentes a ficarem manchados.

Então entre os vários efeitos  negativos dos energéticos temos:

*Contrações Musculares: a descarga de adrenalina e noradrenalina no organismo pode desencadear contrações involuntárias nos músculos;

*Erosão dentária: o pH baixo dos energéticos fomenta um desequilíbrio bucal, assim o cálcio sai dos dentes alterando a superfície do esmalte;

*Gastrite: os hormônios liberados por causa da cafeína da bebida favorecem a produção de ácidos no estômago. 

*Infarto e AVC: as substancias que conferem excitação também provocam endurecimento das artérias. No cérebro pode levar a um derrame, no coração a ua ataque cardíaco.

Fonte: Saúde é Vital

Edição Impressa

Edições Anteriores

Mais Notícias

Conectado

COLUNISTAS

|  Todos os direitos reservados Desenvolvido por OdNet Marketing & Web