Fisioterapia em Oncologia

Cada dia, somos surpreendidos com novos casos de câncer. Adultos, idosos, jovens, e crianças ninguém mais escapa deste mal. Hoje, duas situações predominam no tratamento do câncer: de um lado, a cura completa, sem sequelas físicas e/ou funcionais; de outro,  um tratamento mais agressivo, forte,  que pode deixar limitações significativas. 

Independente do caso, o principal objetivo é proporcionar uma boa qualidade de vida para estes pacientes, sendo cada vez mais necessário o envolvimento ativo de uma equipe multidisciplinar. 

Por multidisciplinar entende-se uma equipe composta vários profissionais, entre eles, médicos, dentistas, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais e nutricionistas. Esses profissionais devem trabalhar de modo integrado e cumprir objetivos que norteiem a assistência, ou seja, a avaliação das situações, o alívio da dor e do sofrimento, a eliminação dos padrões anormais dos comportamentos, a melhora das atividades e padrões físicos funcionais que podem apresentar-se alterado durante o tratamento  e a orientação   dos cuidadores. Diferentemente da medicina, a intervenção da fisioterapia na área de Oncologia não pode ser medida pelo índice de sobrevivência ou pelo desaparecimento dos sintomas. A fisioterapia entra na prevenção orientando o paciente de formas de prevenir o câncer e de como observar alterações apresentadas pelo corpo e como tratamento buscando melhorar as funções corporais sejam elas respiratórias, neurológicas, músculo-esqueléticas, circulatórias entre outras.Benefícios da Fisioterapia 

*Orientar a população sobre como prevenir o aparecimento do câncer e formas de detectá-lo ;

*Proporcionar alívio da dor.

*Reduzir a necessidade de medicamento como analgésicos. A combinação de métodos farmacológicos com não-farmacológicos para controle da dor proporciona efeito analgésico melhor do que o uso isolado do medicamento ou de meios físicos.*Melhorar as amplitudes de movimentos que por ventura foram perdidas durante o tratamento;

*Prevenir instalação de contraturas e aderências pós- cirurgicas ;

*Proporcionar relaxamento corporal;

*Proporcionar maior independência funcional do paciente que muitas vezes fica com sequelas do tratamento;

*Readaptar o paciente nas práticas de atividades de vida diária, melhorando a sua auto confiança;

*Orientar o paciente sobre o tratamento e formas de vencer obstáculos apresentados durante o mesmo.

A fisioterapia utiliza-se de vários recursos terapêuticos  para buscar a qualidade de vida do paciente portador  de Câncer. Entre eles: drenagem linfática manual, terapia manual, eletroterapia, acupuntura, termoterapia, massagem, cinesioterapia entre outros. 

Edição Impressa

Edições Anteriores

Mais Notícias

Conectado

COLUNISTAS

|  Todos os direitos reservados Desenvolvido por OdNet Marketing & Web