A gestante e a pele

Durante a gravidez muitas são as alterações que ocorrem no organismo da futura mamãe. Mesmo sendo fisiologicamente normais, podem gerar angustia  para muitas gestantes.
Alterações da pigmentação da pele
As alterações  pigmentares na pele podem ocorrer em 75 a 90% das grávidas, de forma e localizações variáveis, provavelmente devido à elevação de alguns hormônios. Entre eles temos o melasma,   mancha que  atinge mais comumente a face das mulheres. Outras áreas da pele podem escurecer, como a fronte, nariz, axilas, face interna das coxas,  períneo e aréola mamária, assim como as cicatrizes, sardas e nevos pigmentados (sinais).
O distúrbio de pigmentação mais frequente da gravidez é o escurecimento da linha média abdominal.
Após a gravidez, ocorrerá regressão parcial ou completa da hiperpigmentação, não devendo ser tratada com despigmentantes durante a gravidez e lactação. Deve-se esperar o desmame para se instituir qualquer tratamento.
Cabelos, pêlos e unhas
 Durante a gravidez, é comum ocorrer um crescimento mais intenso dos cabelos, devido ao prologamento da fase de crescimento dos mesmos, especialmente no terceiro trimestre.
Após o parto observa-se com frequência o aumento da queda dos cabelos. Não há necessidade de tratamento, pois os fios voltarão a crescer posteriormente.
Outra alteração relativa a pêlos, é a hipertricose que pode ocorrer acompanhando a linha nigra, mas que deve sofrer regressão espontânea em 6 a 12 meses após o parto.
As unhas também podem sofrer alterações, como fragilização e descolamento.
Alterações glandulares
As glândulas também podem sofrer alterações na gravidez, podendo ocorrer um aumento da incidência  de brotoeja e excesso de suor. Em relação à acne,  existem variações, algumas mulheres que já tinham espinhas antes de engravidarem, melhoram suas lesões e outras mulheres podem apresentar acne pela primeira vez durante a gestação.
Estrias
As estrias gravídicas, acometem entre 70 a 90% das grávidas, especialmente a partir da 24ª semana de gravidez. As estrias não desaparecem após o parto. O uso de emolientes e hidratantes durante a gestação deve ser encorajado, como uma forma de tentar evitá-las.
Alterações vasculares
Os distúrbios vasculares surgem devido aos elevados níveis de hormônios estrogênicos na circulação materna, entre eles temos as telangiectasias, o eritema palmar, o granuloma piogênico, varicosidade, hemorróidas,  edema facial, de pálpebras e de extremidades em cerca de 50% das grávidas e as tromboses e tromboflebites, mais raras.
Fonte: Jornal Rio Dermatológico (SBD-RJ)

Edição Impressa

Edições Anteriores

Mais Notícias

Conectado

COLUNISTAS

|  Todos os direitos reservados Desenvolvido por OdNet Marketing & Web