Chikungunya

Nos últimos tempos Chikungunya virou assunto nas redes de notícias. Ele é um vírus que se assemelha ao da dengue. Foi registrado a primeira vez no Brasil em setembro de 2014 no Amapá. Assim como a dengue, este vírus é transmitido pelo Aedes Aegypti e pelo Aede Albopictus que são mosquitos. Calor e chuvas propiciam a transmissão deste vírus, pois as chuvas aumentam o número de criadouros (depósitos de água parada) e o calor acima de 28 graus faz com que o vírus demore menos tempo após contaminar o inseto de chegar à saliva dele. Entre os sintomas desta doença estão febre alta, dores de cabeça, fadiga e o que a diferencia da dengue são as fortes dores nas articulações. Estas dores são ocasionadas pelo vírus ter preferência pela membrana que recobre as articulações. Quando chegam a corrente sanguínea, cópias do chikungunya chegam principalmente nos dedos, pulsos e tornozelos. Para se defender o sistema imunológico manda para esta região " tropas " de defesa que causam uma inflamação pra lá de intensa. Em 30% dos indivíduos, os sintomas não se manisfestam, passam despercebidos. Nos outros 70% medidas como grande ingestão de líquidos (para repor a água perdida através do suor) e repouso devem ser levados em consideração. No caso do chikungunya, o tratamento medicamentosos se restringe em ameninar os sintomas. Antitérmicos são utilizados para minimizar a febre enquanto analgésicos e antiinflamatórios são utilizados para diminuir as dores. É importante ressaltar que não devemos nos auto-medicar, isso pode prejudicar o tratamento. A medicação deve ser sempre prescrita pelo médico que vai avaliar o paciente, e, como seu organismo reage frente a entrada do agressor. A mortalidade do chikungunya é bastante baixa. Após o organismo desenvolver anticorpos contra o vírus, ficamos protegidos, diferente do que a dengue que se apresenta em quatro tipos distintos e que por sua vez pode voltar a atacar seu organismo. Para prevenir a doença, devemos tomar as mesmas medidas preventivas que da dengue. Em primeiro lugar, elimine qualquer reduto de água parada na sua casa. Em segundo, ao viajar para locais onde já foi registrado episódios de chikungunya, aplique repelente com frequência e vista roupas compridas, o que deixa o corpo mais protegido contra as picadas. Ainda não existem vacinas que impeçam o contagio, apenas estudos.Por isso cuide-se através da prevenção. Fonte: Revista Saúde é Vital

Edição Impressa

Edições Anteriores

Mais Notícias

Conectado

COLUNISTAS

|  Todos os direitos reservados Desenvolvido por OdNet Marketing & Web